Palestrantes


Prof. Ricardo Sant’Ana

Título: A Construção do Discurso Interdisciplinar e o Ciclo de Vida dos Dados

Resumo: A centralidade crescente que o acesso a dados vem ganhando provoca reflexões e exige posicionamentos e ações que tendem a ser, até por sua natureza, interdisciplinares. Discute-se as implicações para o Ciclo de Vida dos Dados da necessária redução de ruídos entre os discursos da Ciência da Informação, da Ciência da Computação e das Matemáticas, entre outras, que necessariamente terão de compartilhar teorias e práticas na construção de caminhos para redução de assimetrias no acesso e uso dos dados.

Bio: Professor adjunto da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Faculdade de Ciências e Engenharias, Campus de Tupã, em regime de dedicação exclusiva. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP, Campus de Marília. Graduado em Matemática e Pedagogia, mestrado e doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista e livre-docente em Sistemas de Informações Gerenciais pela UNESP. Possui especializações em Orientação à Objetos (1996) e Gestão de Sistemas de Informação (1998). Membro do Grupo de Pesquisa – Novas Tecnologias em Informação GPNTI-UNESP. Atualmente realiza pesquisas com foco em: ciência da informação e tecnologia da informação, investigando temas ligados ao Ciclo de Vida dos Dados, Transparência e ao Fluxo Informacional em Cadeias Produtivas.


Juliano Anderson Pacheco, Dr.  

Título: Observatório da Indústria Catarinense: conhecimento para a tomada de decisão da indústria

Resumo: O Observatório utiliza-se de sistemas que geram de maneira sistemática dados e informações para a indústria catarinense, sindicatos, câmaras setoriais, bem como para os CEOs da FIESC, SESI, SENAI e IEL. O objetivo do Observatório é auxiliar o processo de tomada de decisões estratégicas para ampliar as vantagens competitivas dos 16 setores industriais portadores de futuro definidos pelo PDIC2022 (pdic.fiesc.com.br). Esses setores são monitorados a partir das temáticas definidas como prioritárias para a indústria, das quais destacam-se os principais fatores que afetam a competitividade industrial: Economia, Tendências e Oportunidades de Mercado, Inovação, Fomento e demais temas que afetam a competitividade.

Bio: Engenheiro Eletricista graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em Ciências da Computação, ênfase em Estatística, e Doutor em Engenharia de Produção, ênfase em Inteligência Organizacional, ambos também pela UFSC. Atuou como Professor e Coordenador de Curso Superior de Tecnologia, e como Coordenador da Faculdade de Tecnologia do SENAI/SC em Florianópolis (CTAI). Atua como Analista de Inteligência no Observatório da Indústria Catarinense, área integrante da Diretoria de Desenvolvimento Institucional e Industrial (DIRIN) na FIESC.


Everton Gubert

Título: Big Pig Data: como impulsionar a melhoria de um setor através da informação

Resumo: A palestra tem por objetivo compartilhar com o público um case real de uso de Big Data para promover o desenvolvimento de todo um setor através da formação de um grande referencial de produtividade. Irá abordar a estratégia escolhida pela empresa, seus objetivos, a forma como engajou os atores do setor e como estabeleceu a geração de valor para cada participante.

Bio: Analista de Sistemas formado pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Membro do Conselho da ACATE (Associação Catarinense de Tecnologia). Membro do Conselho da ACIF (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis). Sócio-Fundador da Agriness – empresa Líder na América Latina em soluções de gestão para a Suinocultura Autor do Livro Suino Cultura e a Metodologia do Pensamento+1.


Prof. José Leomar Todesco

Título: A Importância Social dos Dados Abertos do Governo

Resumo: Há alguns anos ocorre o debate sobre dados abertos governamentais, sobre informação pública livre para qualquer um acessar e reutilizar com qualquer finalidade. Em 2009, o tema começou a aparecer na grande mídia, com governos de vários países (como Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia) anunciando iniciativas voltadas a abrir sua informação pública. Desde o surgimento da Internet, esses dados governamentais têm sido publicados no formato mais conveniente a essas entidades e de acordo com as normas vigentes. O principal desafio está na publicação desses dados e na sua manutenção, ou seja, a disponibilização contínua dos dados. A abertura de bases de dados governamentais pode trazer uma série de benefícios para diferentes setores da sociedade criando ciclos virtuosos, contribuir para o próprio governo com transparência e controle democrático, melhoria na eficiência de serviços governamentais, melhoria na efetividade de serviços governamentais e medição do impacto das políticas. Para a sociedade com a participação popular, empoderamento dos cidadãos, melhores ou novos produtos e serviços privados, inovação e conhecimento novo a partir da combinação de fontes de dados e padrões. Além disso, o dado aberto governamental assume um papel social muito importante, pois propicia um aumento transparência e a responsabilização, de combate à corrupção, e de iniciativas de participação do cidadão no governo.

Bio: Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina (1987), graduação em Educação Física pela Universidade do Estado de Santa Catarina (1985), mestrado e doutorado em Engenharia de Produção também pela UFSC (1991 e 1995, respectivamente). Atualmente é professor associado III do departamento de Engenharia do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando no curso de Sistemas de Informação na graduação, no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC e como pesquisador do Instituto Stela. Tem experiência na construção de Sistemas de Informação, com ênfase em Data Warehouse, Inteligência Artificial e Engenharia do Conhecimento, com interesse principalmente nos seguintes temas: business intelligence, engenharia de ontologias, sistemas de informação, representação de conhecimento, web semântica, processo de publicação de dados abertos no formato linked data.


Matheus Anversa Viera

Título: Manezinho também manja de big data: o caso Neoway

Resumo: Como a combinação de clima, cultura, percepção de mercado e apetite por novas tecnologias pode atrair profissionais talentosos e criar soluções disruptivas.

Bio: Mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina, com ênfase em Computação Paralela e Distribuída. Atualmente é Diretor de Desenvolvimento de Dados na Neoway, onde lidera todo o Processo de Produção de Dados e faz gestão dos times de desenvolvimento. Possui experiência com planejamento estratégico e financeiro de negócios, bem como com gestão de equipes.


Michel Avila

Título: Manezinho também manja de big data: o caso Neoway

Resumo: Como a combinação de clima, cultura, percepção de mercado e apetite por novas tecnologias pode atrair profissionais talentosos e criar soluções disruptivas.

Bio: Formado em Sistemas de Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Michel trabalha na área de bancos de dados desde 2003, com ênfase em recuperação de informação, modelagem, processamento e armazenamento de dados. Em 2013, começou a trabalhar também com bancos de dados em grafos e análise de redes sociais. Em 2015, deu início a um programa de governança em dados na Neoway, pelo qual é responsável atualmente, como CDO.X


Daniel Severo

Título: Post hoc, ergo propter hoc

Resumo: O uso de dados estruturados na tomada de decisão já é visto pelas organizações como fundamental. Porém, a importância de métodos estatísticos e a cultura do ceticismo ainda não está presente nestes ambientes. Com isso, um novo desafio surge: como saber se as decisões tomadas foram efetivas? A informação está na nossa frente, mas será que estamos interpretando os resultados de forma correta? As relações de causalidade que estamos inferindo realmente existem? Nesta palestra mostraremos como as falácias lógicas podem invalidar completamente o uso de informação. Isso tudo através de exemplos reais que acontecem na maior empresa de sistemas de recomendação do brasil: a Chaordic!

Bio: Engenheiro Eletrônico graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina e aluno de mestrado em Aprendizado de Máquina na mesma instituição. Co-organizador do encontro de Ciência de Dados de Florianópolis. Hoje lidera um time de 6 cientistas de dados na Chaordic, aplicando machine learning para desenvolver sistemas de recomendação para o varejo online e físico.